O Projeto

PROJETO SOCIAL VIDATIVA

Realizar oficinas gratuitas de dança para adolescentes, no Instituto Juliana Castro (www.julianacastro.com.br) ou em escolas públicas do DF, buscando resgatar um conjunto de atividades orientadas, agradáveis e que fortaleçam a formação integral de nossos cidadãos.

As oficinas serão estruturadas de modo que o aluno vivencie não apenas as habilidades e complexidades de uma atividade dançante, mas sim todas as suas habilidades motoras e as complexidades inerentes ao desenvolvimento humano.

Juliana Castro é pós‐graduada em Educação Física, bailarina, sapateadora e coreógrafa, com experiência em produção e direção de espetáculos e eventos na área da dança no DF.

Redige roteiros de espetáculos e musicais, cria coreografias, cenários e figurinos.

Em 2011, foi curadora da primeira exposição sobre a História da Dança em Brasília, patrocinada pelo Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do Distrito Federal, nela, falou do ballet, do sapateado, da dança de salão, do contemporâneo e do hip hop, a exposição ainda apresentou um documentário inédito com os ícones das estéticas e uma pesquisa fotográfica.

Redigiu um catálogo com um pequeno resumo dos ícones da dança em Brasília que deu origem a este livro – FRAGMENTOS DA DANÇA.

Organiza workshops em todas as estéticas de dança com ícones nacionais e internacionais na capital federal desde 1992.

Já trouxe para Brasília uma edição do evento Tap in Rio, em 2004.

É precursora no ensino e difusão no ensino da arte do sapateado na capital federal, dirige a Tap Companhia de Sapateado.

É diretora artística do Instituto de Dança Juliana Castro (IJC), há 11 anos, onde oferece cursos das mais variadas modalidade de dança.

No IJC, Juliana desenvolve, desde 2005, projetos artísticos de sucesso, com vários espetáculos no Teatro Nacional e outros palcos de Brasília.

Foram eventos de danças com mais de 8.000 participantes, além de inúmeras reportagens em jornais e programas de televisão.

Tudo isso no coração da Asa Sul, na Capital Federal.

Em consonância com a missão de seu Instituto que é: "Formar dançarinos com excelência técnica e vivência na dança; apresentar a dança como alternativa saudável de entretenimento, diversão e qualidade de vida; e contribuir ativamente para a difusão da arte e dança no DF", Juliana Castro criou a presente proposta, que consiste em oferecer oficinas gratuitas de dança  para adolescentes.

O projeto utilizará a dança como meio e não como fim em si mesmo.

As atividades serão pensadas e praticadas a partir de suas raízes, dada a sua importância na formação total do nosso público alvo.

É preciso que tudo seja bem conduzido, tal a sua importância no contexto educacional brasileiro.

As oficinas serão estruturadas de modo que o aluno vivencie não apenas as habilidades e complexidades de uma atividade dançante, mas sim todas as suas habilidades motoras e as complexidades inerentes ao desenvolvimento humano.

O aluno se transformará assim em um investigador itinerante, com postura crítica diante do que observará, evitando com isto o surgimento de atitudes de passividade e alienação.

Deste modo será possível priorizar a aprendizagem motora do aluno, possibilitando os avanços cognitivos, afetivos e sociais por meio de modalidades de dança variadas.

Dessa forma, o “VIDATIVA” visa preencher uma lacuna existente em nossa região, atendendo uma clientela carente de orientação física pedagogicamente realizada, fundamental na formação integral do indivíduo.

Partindo da ideia de que uma oficina representa um espaço de criação e de vivências prazerosas e não de normas rígidas com ações estereotipadas e descaracterizadas de sentido, foi criado o projeto “VIDATIVA”.